terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Era Assim...

Uma Quintilha Poética que entrego à vossa perspicácia para descobrir o nome e o Autor deste Poema.

Era assim, tinha esse olhar,
A mesma graça, o mesmo ar,
Corava da mesma cor,
Aquela visão que eu vi
Quando eu sonhava de amor,
Quando em sonhos me perdi.

Toda assim; o porte altivo,
O semblante pensativo,
E uma suave tristeza
Que por toda ela descia,
Como um véu que lhe envolvia,
Que lhe adoçava a beleza.

Era assim; o seu falar,
Ingénuo e quase vulgar,
Tinha o poder da razão
Que penetra, não seduz;
Não era fogo, era luz
Que mandava ao coração.

Nos olhos tinha esse lume,
No seio o mesmo perfume,
Um cheiro a rosas celestes
Rosas brancas, puras, finas
Viçosas como boninas,
Singelas sem ser agrestes.

Mas não és tu...ai, não és,
Toda a ilusão se desfez.
Não és aquela que eu vi,
Não és a mesma visão,
Que essa tinha coração,
Tinha, que eu bem lho senti.

6 comentários:

Sonhadora disse...

Este é um poemas dos mais belos e conhecidos de Almeida Garrett.

Beijo
Sonhadora

Sonhadora disse...

Sim, é um poema muito belo. O enigma está decifrado por outra sonhadora.

Beijo de boa noite.

Rui da Bica disse...

Tantos Sonhos e Sonhadoras ! :)))
"Não és tu" Sonhadora, que sabes que depois das "Folhas Caídas" vem o Inverno ? Para a próxima deves ter isso presente ! :)))
O Castanheira perguntava o nome do poema ! :))
.

Nina disse...

Permite-me uma pequena correcção, amigo Rui:
De facto, este poema está incluído na antologia "Folhas Caídas", mas intitula-se "Não és tu".
bji a todos

Nina disse...

O meu favorito é "Este inferno de amar!"
(acho-o lindo!:))

Tenham um óptimo dia!

oops!!! disse...

Txáran!!!!

And the Óscar goes to....

;)

About

.