sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

RECORDANDO UM GRANDE POETA



HÁ TANTOS BURROS MANDANDO
EM HOMENS DE INTELIGÊNCIA
QUE ÀS VEZES FICO PENSANDO
QUE A BURRICE É UMA CIÊNCIA.

EMBORA OS MEUS OLHOS SEJAM
OS MAIS PEQUENOS DO MUNDO
O QUE IMPORTA É QUE ELES VEJAM
O QUE OS HOMENS SÃO NO FUNDO.


UMA MOSCA SEM VALOR
POUSA COM ALEGRIA
NA CARECA DE UM DOUTOR
COMO EM QUALQUER PORCARIA.


VÓS QUE LÁ DO VOSSO IMPÉRIO
PROMETEIS UM MUNDO NOVO
LEMBRAI-VOS QUE PODE O POVO
QUERER UM MUNDO NOVO A SÉRIO.

NA SOCIEDADE DOS RICOS
FORÇADOS PELA VAIDADE
HÁ QUEM FAZ DO CU TRÊS BICOS
PARA ENTRAR NA SOCIEDADE.

NÃO MAIS VEM, COMO DESEJO
UM MUNDO NOVO, PERFEITO
SÓ FECHANDO OS OLHOS VEJO
ESSE DESEJO SATISFEITO.

ANTES CEGO, SURDO E MUDO
QUE ENTRE TANTA GENTE HONRADA
OUVIRMOS, E VERMOS TUDO...
SEM PODERMOS DIZER NADA!

ROUBA MUITO QUE DE RESTO
TERÁS UM BOM ADVOGADO
QUE PROVA QUE ÉS MAIS HONESTO
QUE PROPRIAMENTE O ROUBADO.

ESSES POR QUEM NÃO TE INTERESSAS
PRODUZEM QUANTO CONSOMES
VIVEM DAS TUAS PROMESSAS
GANHANDO O PÃO QUE TU COMES.

TU ANDAS CHEIO, E EU VAZIO
TENS À ESCOLHA O QUE QUISERES
COMES O MELHOR QUE EU CRIO
EU COMO O QUE TU NÃO QUERES.

TU QUE VIVES NA GRANDEZA
SE CALÇASSES E VESTISSES
DAQUILO QUE PRODUZISSES
ANDAVAS NU COM CERTEZA.

NUMA AMBIÇÃO DESMEDIDA
A GENTE GRANDE QUER TER
DOIS CÉUS:- UM CÁ NESTA VIDA
O OUTRO DEPOIS DE MORRER.

OS QUE VIVEM NA GRANDEZA
DIZEM VENDO ALGUÉM SUBIR
- HÁ QUE MANTER A POBREZA
PARA A GRANDEZA NÃO CAIR.

ENTRE GRANDES E PEQUENOS
- FICAVAM QUASE IGUAIS...
DANDO A UNS UM POUCO MENOS
E AOS OUTROS UM POUCO MAIS.

É TRISTE QUE A GENTE VEJA
TANTA GENTE QUE NÃO COME
O PÃO QUE A MUITOS SOBEJA
MATAVA BEM ESSA FOME...

POEMAS DA AUTORIA DO POETA ALGARVIO ANTÓNIO ALEIXO.
NASCIDO A 18 DE FEVEREIRO DE 1899 NA FREGUESIA DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO.

5 comentários:

polittikus disse...

Inspirado para a manlandrice...

Ricardo disse...

O António sabia bem o que dizia. o Rei das Quadras de tão genial que era faz parecer que eram poesia simples.

Fê-blue bird disse...

Sou grande apreciadora de António Aleixo. A sabedoria popular tem nele a sua melhor expressão.
"
É TRISTE QUE A GENTE VEJA
TANTA GENTE QUE NÃO COME
O PÃO QUE A MUITOS SOBEJA
MATAVA BEM ESSA FOME..."

Actualíssimo!!!

beijinhos

M. disse...

Incrível como ele conhecia o que nos ia acontecer...

ROSINHA disse...

Adoro António Aleixo,sei-o de cor...
Maravilhoso!

About

.