sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Já Não é de Agora, o Mal Que Não Melhora!

Há 63 anos atrás estes versos foram cantados por um Rancho Folclórico ensaiado numa pequena povoação de Castanheira de Pera. Esta povoação chamada de Torno, tinha nesse tempo um Rancho Folclórico. Os últimos versos não foram autorizados pela censura. Essa parte era interpretada apenas por assobio. Para aqueles que conheceram e possam ter apontamentos sobre este evento, agradecia que deixassem um comentário. Obrigado

LÁ NO TEMPO DAS ESTRELINHAS
ORA QUE BELAS, ORA QUE LINDAS
LÁ NO MEIO DAQUELES PINHAIS
VAMOS DAR ÁGUA ÀS GALINHAS
VAMOS DAR ÁGUA ÀS GALINHAS
E COMER AOS PARDAIS.

NAS ELEIÇÕES
O POVO GRITA
OH MAGALHÕES
OLHEM QUE EU 
NÃO VOU NA FITA.

OS GOVERNANTES
PROMETEM TUDO
E OS ESTUDANTES
VÊEM BRAGA 
POR UM CANUDO.

Nota.
A palavra MAGALHÕES aparece aqui tal como era pronunciada nesta quadra há mais de 60 anos atrás.
Se não estou em erro, o Ensaiador era natural da Lousã e era conhecido pelo nome de Manuel Curto.

6 comentários:

Fê-blue bird disse...

Uns visionários! Que descoberta interessante e o nome Torno também ;-)

Beijinhos e bom fim de semana

Isa GT disse...

Bom... essa do Magalhões... foi quase uma premonição lol

Bjos

polittikus disse...

Conheço a aldeia, não conhecia a letra. lol

polittikus disse...

Já me esquecia, hoje almoçei perto de si. Num restaurante na PICHA, quero dizer na aldeia da Picha (não quero mal entendidos)

FMF disse...

Agora além de darmos de comer aos pardais tanbém sustentamos os Magalhões.

carol disse...

Vim aqui quase sem querer e aproveito para dizer que gosto muito de Castanheira de Pêra. Andei muito por aí e por Figueiró e por Pedrógão Grande, Alvaiázere, etc. etc. em serviço - educação especial. Conheci escolinhas pequeníssimas (que agora já devem estar fechadas) em lugares muito rurais e tive a sorte de conhecer pessoas incrivelmente simpáticas que me trataram muito bem. Gosto muito do norte do distrito.
Vou aparecer mais vezes.
Obrigada.

About

.