quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher!

Hoje, cerca das 10:3o da manhã ao passar na Praça 8 de Maio em Coimbra, deparei com uma cena que vista à distancia em que me encontrava, julguei tratar-se de um daqueles expectáculos de teatro ambulante. Aproximei-me do local e então percebi que se tratava de uma encenação apresentada pela Associação Hemisférios Solidários. Aproveitei para tirar as fotos que apresento em baixo e conversar um pouco com uma das jovens da Associação. Que todos os homens e também as mulheres prestem muita atenção às imagens. Fim há violência contra mulheres e crianças! Penas muito pesadas para os criminosos.
                                 

9 comentários:

M. disse...

Uma bestas! E algumas consentidas.

Isa GT disse...

Pelo que sei, na última estatística portuguesa, morreram 39 mulheres e a causa foi violência doméstica, mais do que no ano passado.Apesar de ser crime as coisas continuam muito mal.

Bjos

Fê-blue bird disse...

Fazem bem denunciar e alertar de todas as formas possíveis as pessoas para uma realidade cada vez mais alarmante.
Temo que vá piorar com a crise económica.

Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

A nossa moldura penal ainda é demasiado permissiva, fazendo com que muitas situações que poderiam ter um final "feliz" venham a aumentar as estatísticas das mortes e agressões.

Mac Adame disse...

"A nossa moldura penal ainda é demasiado permissiva". Perfeitamente de acordo com o Rafeiro Perfumado. Permissiva nisto e em quase todas as coisas.

Vem desfrutar do Amor de Deus disse...

belo trabalho Teofilo... esse assunto precisa mesmo ser divulgado e tratado com mais seriedade. 'E preciso acabar com a violencia tanto fisica quanto psicologico.
Tenha um lindo e abencoado final de semana junto a sua familia.
Bjs
Marcia

L.O.L. disse...

Atenção que não existe apenas violência contra mulheres e crianças. Eu também já fui vítima de violência doméstica e só tarde demais é que descobri que ela era sociopata. Além das agressões físicas e morais fui também espoliado em 7000 euros. Mas isto já foi há dez anos e agora tudo está praticamente esquecido (felizmente para mim).

L.O.L. disse...

Faltou referir que a dita cuja era (deve ser ainda) psicóloga. Como é que isto pode ser possível? Valer-se do estatuto para me fazer cair no maior conto do vigário a que eu fui sujeito. Fiz queixa à polícia por crime de abuso de confiança e o caso foi arquivado ao fim de dois anos. E assim vai a justiça em Portugal...

L.O.L. disse...

Sempre que se fala deste assunto, normalmente fala-se de mulheres. não são só elas as vítimas. Habituámos a ver o homem como agressor e a mulher como vítima e nem sempre é assim.
Aliás, tenho um caso mto, mto próximo, em que o rapaz é constantemente vítima de agressões verbais, humilhações públicas, ameaças. E é muito complicado, porque não sabemos bem como agir. Ainda conheço outro rapaz que se sujeitava mesmo a agressões físicas graves. Ainda é um mundo desconhecido.
Talvez não vejamos campanhas e apoios a este tipo de agressão, porque há a ideia generalizada de que um macho não chora, nem sofre... O que é muito errado, obviamente. O facto, é que os homens reprimem muito mais do que as mulheres e não denunciam.
Não só têm de lidar com a agressão das parceiras, como têm de lidar com a humilhação pública, caso denunciem o caso. Tipo: "mas que raio de homem és tu? deixaste a gaja fazer-te isso?"
é melhor parar por aqui...

About

.